fbpx
FM Cittadinanza - P.IVA 04358910166 - Itália
+39 0345 1821789
contato@fmcittadinanza.com

10 + Benefícios em se tornar CIDADÃO ITALIANO

FM Cittadinanza

Está pronto para aproveitar todos os benefícios da cidadania italiana? Ter uma cidadania europeia pode proporcionar a você uma nova vida, seja em relação ao trabalho, estudos ou lazer. As opções são muitas!

Por exemplo: já se imaginou morando na Europa? Com uma qualidade de vida muito melhor do que a da maioria dos lugares do Brasil? Para que essa possibilidade seja concretizada de forma rápida e legalmente, a dupla cidadania é a melhor opção.

Para adquiri-la basta ter laços sanguíneos com italianos, ou seja, ser filho, neto ou bisneto de pessoas nascidas em qualquer região da Itália. Independentemente da razão que tenha ocasionado a migração e mesmo que o parente nascido na Itália já tenha falecido, é possível solicitar sua cidadania e gozar dos mesmos direitos dos nascidos no país.

A obtenção da cidadania italiana e seus benefícios é bastante burocrática e exige uma detalhada comprovação de descendência italiana. No entanto, as regalias compensam todo o tempo gasto para adquiri-la. Com a dupla cidadania italiana, as fronteiras diminuem e as oportunidades se intensificam – sem prazo de validade.

Se você tem parentes italianos, não perca a chance de obter sua dupla cidadania!

Ainda não se convenceu? Então confira os dez motivos que separamos para você sair correndo agora mesmo para conquistar a sua cidadania italiana!

1. Ter um dos melhores passaportes do mundo

Perdendo apenas para os passaportes alemão, sueco, francês, inglês, suíço e finlandês, o passaporte italiano está na lista dos melhores passaportes do mundo. Isso porque ele dá direito a viajar por 155 países sem a obtenção de visto.

Os países que fazem com que o passaporte italiano não ocupe o primeiro lugar são Mongólia, Ruanda, Índia e Russia, que ainda exigem o requerimento de visto para a entrada em seus territórios.

Mesmo assim, com este pequeno instrumento no bolso, é possível conhecer uma boa parte do planeta e ainda ter direito ao ingresso, estudo, turismo e trabalho em todos os países da Europa, respeitando as leis de cada um deles.

2. Ser europeu

Outro benefício da cidadania italiana é ter os mesmos direitos que qualquer cidadão europeu. Isso significa que um brasileiro com dupla cidadania italiana pode estudar em instituições de ensino públicas, utilizar o sistema de saúde, residir e até concorrer a cargos públicos em toda região pertencente ao Acordo de Schengen.

Essa convenção foi realizada entre 30 países, sendo praticamente todos os pertencentes à União Europeia. Os únicos países que fazem parte da União Europeia e não estão no tratado são o Reino Unido e a Irlanda.

Mas o cidadão europeu também tem outras regalias. Ele consegue alugar um imóvel ou comprar uma casa em países da União Europeia com mais simplicidade e menos burocracia.

Além disso, quando estiver em uma viagem para fora desta região, ele poderá fazer uso de toda a rede de suporte de Embaixadas e Autoridades Consulares italianas e pedir socorro em um país terceiro por meio de alguma representação consular italiana ou de outro Estado da União Europeia por força das relações diplomáticas do bloco europeu.

Pessoas com cidadania italiana também podem se beneficiar das opções de lazer, se inserir na política do país no qual reside e desfrutar da assistência médica que o local oferece. Pode até usufruir do auxílio-desemprego e da aposentadoria, contanto que preencha os pré-requisitos para isso, como tempo de serviço, registro trabalhista e pagamento de contribuições.

Entretanto, tudo que vem, volta. E, para dispor dos direitos europeus, é preciso exercer o papel de cidadão italiano. Votar em eleições, por exemplo, é um dos deveres cívicos de uma pessoa com dupla cidadania.

3. Poder morar na europa

A moradia em qualquer um dos 28 países da União Europeia ou dos 30 países do Acordo de Schengen, que inclui Islândia, Noruega e Suíça, também é um benefício da cidadania italiana. Ao todo, você pode escolher entre 32 países, fora o Brasil e os países com ele acordados, para residir.

A vantagem disso é não precisar de visto ou autorização para morar em outro lugar e a liberdade de se mudar caso veja uma melhor oportunidade em outro local.

4. Poder estudar na Europa

Na União Europeia, a educação é vista como uma questão primordial para seus habitantes. Ela aprimora as competências das pessoas para que elas possam ter oportunidades frente à crescente concorrência internacional.

No entanto, para brasileiros estudarem na Europa é muito mais caro do que para um europeu que deseja fazer um curso de graduação. O valor cobrado por mensalidade ou anuidade pode ser mais que o dobro para quem não tem cidadania local.

A cidadania italiana também oferece o benefício de estudar em escolas públicas da região sem burocracia, diferentemente do que ocorre para cidadãos brasileiros.

Por esse motivo, a cidadania italiana é benquista por jovens que almejam estudar em uma universidade europeia e, por que não?, em uma das melhores universidades do mundo.

Esses estudantes também podem conseguir bolsas de estudo disponibilizadas aos cidadãos italianos pelo Estado Italiano, por Organizações Internacionais ou por Fundações.

5. Poder trabalhar na Europa

Mesmo se o que você deseja é morar em outro país para aprender o idioma nele falado, não irá precisar se preocupar com o dinheiro, pois vai poder trabalhar sem nenhum empecilho, como restrições de carga horária, tipo de trabalho ou necessidade de visto trabalhista.

Além disso, seu leque de possibilidades aumenta, pois além das vagas brasileiras, também poderá se candidatar para vagas europeias e, assim, agregar mais valor ao seu currículo.

Saiba que pessoas com dupla cidadania são mais valorizadas em multinacionais, pois elas representam a imagem que a empresa deseja passar – de integrada, cosmopolita e com vasta cultura. Isso, claro, sem contar que é mais fácil enviar alguém com passaporte europeu para uma viagem de negócios do que um brasileiro, que deverá preencher uma série de requisitos antes de embarcar.

Como os europeus prezam pela qualidade de vida, o trabalho é muito mais regrado que no Brasil. Nos principais países dessa parte do planeta, a jornada de trabalho deve ser respeitada e não é incomum ver alguém saindo do trabalho ainda de dia e indo fazer exercícios ou curtir o fim de tarde em um parque.

Outro benefício de ser um cidadão italiano é não se sujeitar ao famoso subemprego. Na Europa, todo tipo de trabalho é valorizado e não existe preconceito. Lá, o salário de um funcionário que exerce uma profissão considerada desprezível pelos brasileiros pode se equiparar ao de um magnata, pois ambos se esforçaram, se dedicaram para estar onde se encontram e sabem que dependem do outro para iniciar mais uma jornada de trabalho.

Falando em salário, lembre-se que o valor será depositado em uma moeda mais competitiva no mercado econômico mundial e, se convertida para o real, será valorizada.

E para quem é fluente no idioma de seus descendentes, aqui vai mais um benefício da cidadania italiana: você pode prestar concurso público na Itália!

Isso tudo sem contar que qualquer empresa preza por um cidadão que está com sua situação legalizada ao invés de um imigrante ilegal.

É importante ressaltar, no entanto, que não basta ter passaporte europeu para conseguir um emprego. As oportunidades não vão bater à sua porta. Você deverá se levantar, buscar o que procura e sobressair frente aos demais candidatos, como em qualquer trabalho.

6. Ter qualidade de vida europeia

De acordo com a 19ª pesquisa anual de Qualidade de Vida da Mercer, a Europa sobressai quando se trata do bem-estar de seus habitantes.

É certo que, nos últimos anos, o mundo vem passando por instabilidade política e financeira, mas, mesmo assim, o continente europeu não deixa essa situação ser refletida no dia a dia de seus cidadãos.

Lá, a infraestrutura urbana é tida como essencial, por isso há fácil acesso ao transporte público, distribuição igualitária da eletricidade e presença de água potável em todas as residências. Por esse motivo, podemos afirmar que a Europa tem uma qualidade de vida superior à do Brasil.

Claro que cada lugar possui suas características, no entanto, de maneira geral, a União Europeia preza por proporcionar um bom nível de vida à sua população, investindo na proteção do meio ambiente, no desenvolvimento de infraestrutura, aumentando o número de emprego e diminuindo a desigualdade social.

7. Ter livre circulação dentro da União Europeia

Desde 1968, a União Europeia tem como um de seus principais fundamentos a abolição das fronteiras entre os Estados-Membros. Isso significa que a cidadania italiana confere o benefício de circular ou residir em qualquer um dos países pertencentes a este tratado sem necessidade de visto ou qualquer burocracia e sem limite de permanência.

A Europa é conectada por malhas ferroviárias imensas, mas também conta com passagens aéreas de baixo custo e até mesmo ônibus que fazem o transporte de passageiros para outros países.

8. Não precisar de visto para viajar pelo mundo

Já pensou em fazer o check-in alfandegário de forma extremamente rápida, sem visto e sem precisar comprovar que a sua renda é suficiente para passar um período em outro país?

Quem já viajou para o estrangeiro com passaporte brasileiro sabe do que estamos falando. A dupla cidadania italiana beneficia a vida e a locomoção dos viajantes na entrada e saída de países como Estados Unidos, Canadá e Japão.

Com a ESTA (Electronic System for Travel Authorization), um sistema de candidatura online desenvolvido pelo governo dos Estados Unidos para triar as pessoas que entram no país, os europeus não precisam mais de visto para conhecer o Mickey ou fazer umas comprinhas em Nova York. Os vistos de estudo e trabalho ainda são requisitados, mas são mais fáceis de ser conseguidos que o para brasileiros.

Por isso, ao chegar a qualquer aeroporto, cidadãos com o passaporte europeu à mão ingressam em uma fila diferenciada, por onde passam sem demora e sem serem submetidos a interrogatórios, enquanto brasileiros são obrigados a responder a diversas perguntas sobre duração e motivo da viagem.

9. Fazer compras com preço justo

Mesmo com a aplicação de impostos sobre os produtos, os preços na Europa são mais justos que no Brasil. Assim, comprar o smartphone que acabou de ser lançado, renovar o guarda-roupa, reformar a casa e até mesmo fazer aquela comprinha semanal no supermercado não pesam tanto no bolso dos europeus.

Mas, se ainda quiser economizar mais, a União Europeia dispõe de inúmeros outlets (que não mascaram os preços) para quem não está podendo gastar muito ou está tentando juntar dinheiro para o futuro. Basta pesquisar.

A União Europeia tem mais de 500 milhões de consumidores potenciais. Para defender os interesses desses cidadãos, os Estados-Membros adotaram a política de direito à informação e à educação dos cidadãos a fim de garantir a saúde e da segurança dos mesmos.

10. Passar a cidadania europeia aos descendentes

A Itália é um lugar que considera a cidadania com um direito de sangue, ou seja, brasileiros descendentes de nascidos no país podem ser beneficiados com a cidadania italiana, seja o progenitor seu pai (mãe), avô (avó), bisavô (bisavó) ou tataravô (tataravó).

No entanto, para conseguir a cidadania é preciso atentar-se para a questão do gênero. Se houver ascendentes mulheres, seus filhos devem ter nascido após 1948. Caso forem todos homens, não há restrição.

As mulheres também podem conseguir a cidadania pelo casamento com descendentes de italianos, mas os homens só terão essa nacionalidade se naturalizarem italianos.

Os filhos de italianos naturalizados brasileiros também poderão obter os benefícios da cidadania italiana se tiverem nascido antes da naturalização dos pais.

Feita essa constatação, o próximo passo é consultar o Consulado Italiano mais próximo de você e fornecer todas as informações que lhe forem solicitadas. Se todos os documentos estiverem corretos, o Consulado irá convocar o requerente para uma inscrição no Cadastro Consular.

Esse processo pode demorar e os gastos podem ser de até R$7 mil se feito no Brasil. Mas após sua conclusão, já é possível agendar a emissão do passaporte italiano.

Se preferir pode entrar em contato com nosso time de assessores, que estamos prontos para tirar todas as suas dúvidas tanto para o processo no Brasil via Consulado, como também para o processo diretamente na Itália via Comune.

 

Responder